Braid, Closer to Closed, uma ótima surpresa em 2011

Os balzaquianos do Braid, unidos em 93 com a proposta de reverberar o que conhecemos hoje em dia por “emo anos 90“, estão de volta!!!

Enfim, rotular é preciso, rotular, rotular e rotular… para que seja possível pontuar o que ao meu ver, desde 93 ainda não foi superado… quiçá, alguém vai empatar… [risos…]

Por ironia do destino, sorte dos fãs ou simplesmente pela monotonia que pairava no céu de Illinois, Bob Nanna e sua rapaziada decidiram então em 2011 lançarem um material inédito, o EP entitulado “Closer to Closed“, contendo três faixas inéditas e uma cover de Jeff Hanson’s.

A mixagem ficou à cargo de J. Robbins, isso mesmo, o mesmo mentor do consagrado “Frame and Canvas“, que contém uma dúzia de rosas e outras canções que marcaram uma cena…

O abre-alas de “Closer to Closed” é a canção “The Right Time“, cantada pelo Geddy Lee, ops… digo, pelo Chris Broach (o timbre do vocal remete de maneira honrosa ao Rush) e inicia-se assim: “Keep it in a small compartment in the back of your apartment. Keep it locked and keep it hidden from view“… a mistura sonora dessa mais happy-pop-push-song prepara o terreno para o que há de vir… Mister Broach surpreendeu-me!!!

Em “Do Over“, a segunda faixa, Bob Nanna além de encher o pulmão antes de soltar a primer frase (o microfone capturou muito bem essa primeira respiração…) encarna aos exatos 02:25′ a melhor bridge de todos os tempos da última semana… sincera e viciante, confesso ter ouvido exaustivas vezes, não é Zé? [risos…]

Não achei a letra na internet e meu vinil ainda não chegou, sendo assim, o plano B foi colocar o fone de ouvido e muita atenção para notar o que Mister Nanna atestou nessa bridge… que é chegada a hora do basta… “now is the part that I break you heart, now is the part that I break you heart, it’s the part that I break some hearts… so…

A terceira faixa, é a cover mencionada anteriormente… “You’re the Reason” soa como uma homenagem, pouca modificação na estrutura original da canção, um piano engrossa o caldo e notamos ao longo da canção o que chamamos de dosagem braidiana, vale a pena tirar a prova dos nove, ouvindo também a versão original.

Encerrando esse EP, ouvimos a quarta faixa, “Universe or Worse“, aqui vale a pena uma confissão [risos…] à caminho do El Rocha, e em plena Marginal Tietê, o primeiro riff dessa canção nos fez cantarolar repetidas vezes “É Bob Nanna! É Bob Nanna! É Bob Nanna! É Bob Nanna!”… besteira nossa, mas isso grudou na cabeça de tal forma… e até hoje em dia, quando aperto o play, me pego cantarolando isso! [risos…]

Por hoje é só pessoal…

Curiosidades:

– Assistam a “vídeo-aula” feita pelo Mister Nanna da canção mais marcante do consagrado “Frame and Canvas“:

– Com essas dicas, melhoraremos a homenagem feita ao vivo no Divina Comédia:

– Maiores informações sobre o EP do Braid: http://www.polyvinylrecords.com/store/index.php?id=1838

****
Postado por Rodrigo Giometti

Anúncios

Tags:, , ,

About stereomotive

... quatro mentes e incontáveis visões sobre essa contraditória "arte" de se organizar acordes sobre a velha ou a nova fórmula, e enfim, todos os questionamentos que observamos nos remeteram ao novo, à tentativa de ser novo, mas... o que é novo?.. não temos a pretensão de mudar as tendências, queremos apenas tocar e ouvir nossos anseios conforme nossas personalidades... quem sabe não estamos apenas criando nossa própria música?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: